Você está aqui: Página Inicial Pandeiros e bandoneones: vozes disciplinadoras e marginais no samba e no tango

Pandeiros e bandoneones: vozes disciplinadoras e marginais no samba e no tango

Em análise abrangente, original e interdisciplinar, a obra coloca em paralelo e compara – em suas convergências e divergências – o processo de construção do ideal da nação no Brasil e na Argentina. Considerando a música aspecto revelador da sociedade, o livro faz tal percurso mediante o exame das letras de samba e do tango – tidos como símbolos genuinamente nacionais dos dois países, tomando como corpus aqueles compostos entre os anos de 1910 e 1940, período crucial para a construção da identidade brasileira e da argentina.

Instigada pela aparente contradição representada pela presença frequente do malandro nas letras de samba e do compadrito nas de tango – figuras profundamente associadas à identidade de, respectivamente, Brasil e Argentina, mas tão contrárias ao ideal de cidadão almejado pelo discurso oficial –, a autora traça a história de cada um desses gêneros musicais e do papel dessas figuras dentro deles, expondo suas características, modificações e vertentes, sempre relacionadas à histórias do seu país de origem.

Autora: Andreia dos Santos Menezes

Editora: Editora Unifesp

Área de interesse: análise do discurso, ciências sociais e musicologia

Páginas: 300

 
Ações do documento