Você está aqui: Página Inicial Desemprego e Protestos Sociais no Brasil

Desemprego e Protestos Sociais no Brasil

Esta coletânea de artigos, organizada por Davisson Cangussu de Souza, professor de ciências sociais da Unifesp, vem questionar a ideia, bastante difundida nos dias de hoje, de que a explicação do mundo do trabalho pela teoria marxista está superada: a classe proletária estaria desaparecendo, o papel ativo nas lutas e nos movimentos sociais já não caberia aos trabalhadores e a luta de classes não bastaria para explicar a dinâmica das sociedades capitalistas atuais e suas mudanças.

Partindo da análise de movimentos de protestos sociais contemporâneos sobretudo brasileiros, mas também de alguns casos argentinos, busca ampliar a compreensão das relações de classe e dos movimentos sociais, assinalando como se constituem, ao lado de movimentos sindicais organizados e atuantes – ainda primordiais para a análise da estrutura e dos conflitos sociais –, outras formas de participação e reivindicação que não se vinculam a essas entidades mas que se encontram em um contexto de luta de classes. 

Retomando por um viés original o conceito de superpopulação relativa desenvolvido por Marx, esses ensaios mostram que os novos movimentos e as novas formas de protestos sociais são protagonizados por trabalhadores não inseridos no mercado formal de trabalho, excluídos da estrutura sindical, que, entretanto, nem por isso estão à margem das relações de classe. 

Editora: Fap-Unifesp

Organizador: Davisson Cangussu de Souza 

Páginas: 360 

Áreas de interesse: Sociologia do Trabalho, Ciência Política 

 
Ações do documento