Você está aqui: Página Inicial Democracia e estado de exceção - Transição e memória política no Brasil e na África Do Sul

Democracia e estado de exceção - Transição e memória política no Brasil e na África Do Sul

Há muito mais de estado de exceção nas democracias contemporâneas do que gostaríamos de admitir. Essa é a provocação central que Edson Teles nos desperta ao mesclar a experiência do vivido com o exercício da reflexão.

Tomando como ponto de partida uma original comparação entre os processos de acerto de contas com as violências do apartheid sul-africano e da ditadura civil-militar brasileira, este livro nos convida a um percurso teórico pela filosofia política no qual os conceitos vão sendo construídos e definidos, criticamente, na própria fluidez do texto. 

De um lado, a lenta e controlada transição brasileira turvou o acesso à memória política, consagrando a impunidade dos torturadores. Medidas de reconhecimento esparsas e pouco articuladas entre si expressam o mal-estar de um passado que não passa. De outro, a mudança de regimes na África do Sul foi pautada pela criação de uma esfera pública de partilha dos sentimentos de horror após décadas de segregação racial. Em vez de silenciamento e esquecimento, emergiu um potencial redentor da narrativa, contribuindo decisivamente para a reconstrução dos laços sociais e da confiança cívica nas instituições do Estado. Em contrapartida, apesar de reconhecer os avanços da Comissão da Verdade e Reconciliação criada por Mandela, o autor não deixa de apontar as contradições desse processo. As exigências por justiça seguem em uma sociedade ainda marcada pela desigualdade econômica e pelo preconceito. 

Esta obra consiste em uma contundente denúncia dos bloqueios que ainda temos de romper para fazer frente às violências que não cessam. Seu maior mérito é nos mostrar a importância de mobilizar a memória das violações de direitos humanos como uma forma de radicalizar a democracia nos dias atuais.

 

Editora: FAP-Unifesp

Autor: Edson Teles 

Áreas de interesse: Filosofia, Ciências Sociais e História

Páginas: 456

 
Ações do documento