Você está aqui: Página Inicial Cena Absurdo

Cena Absurdo

Cena Absurdo (2016), de Pedro Marques, professor de Literatura Brasileira da Unifesp, traz poemas com desatinos no meio da vida cotidiana. O aspecto que unifica os poemas é “a denúncia da hipocrisia, do contraditório, da incongruência, que se fazem revelar nas cenas mais corriqueiras: aí reside o desabrochar do absurdo que passa despercebido quando nele estamos inseridos”, escreve Luís Fernando Prado Telles, professor de Teoria Literária da Unifesp.

O inusitado é reforçado pelo projeto editorial, trabalho da Ateliê Editorial com o Estúdio Risco. O livro apresenta clusters sonoros quando dispõe dois ou três poemas na mesma página. Ao longo do volume, flagram-se dez clusters concretos de notas, palavras e vozes simultâneas. O autor expande as fronteiras midiáticas e intelectivas do papel, contando com composições de Juliana Amaral (vocalista dos poemas), Gustavo Bonin e Micael Antunes que reenviam os versos literários à música. 

A obra, assim, convida à leitura e à audição. Os clusters sonoros podem ser ouvidos por meio do QRCode ou link dispostos na página. Basta teclar ou posicionar à câmera do celular, tablet ou computador. Para Marco Catalão, as vozes “se entrechocam na página, que digladiam, se misturam, se queimam, sem redenção (sem rendição) possível”. Tal experimentação músico-poético gerou o espetáculo a ser visto nos dois lançamentos. 

 

Autor: Pedro Marques

Editora: Ateliê Editorial

Páginas: 80

Ações do documento